Anápolis | Prefeitura Municipal

Estudantes da rede municipal têm mês dedicado a autoconhecimento

Além de trabalhar a capacidade de identificar os próprios sentimentos e emoções, Talentos do Coração também inspirou escritora e professora na criação de livro sobre o projeto

Foto: Bruno Velasco

O autoconhecimento foi o tema do projeto Talentos do Coração neste mês de maio. Elaborado pela Secretaria Municipal de Educação, a iniciativa tem por finalidade trabalhar habilidades gerais e socioemocionais definidas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). As ações desenvolvidas contemplam a conscientização com o autocuidado, promovendo a compreensão sobre as emoções e a forma de lidar com elas. O projeto também foi assunto do livro “Afagos”, da professora da rede e escritora Olira Rodrigues.

“Em tempos de isolamento, distanciamo-nos dos outros, aproximamo-nos de nós, tempo de ficar a sós.” Este é um dos trechos sobre autoconhecimento presente no livro, que pode ser acessado na plataforma da Universidade Estadual de Goiás (UEG). Olira é pós-doutora em diversas áreas da educação, além de atuar como professora na rede municipal há 27 anos.

“A escola é espaço para autoconhecimento, cuidado com a saúde física e emocional na busca pela compreensão da diversidade humana”, afirma a secretária de Educação, Eerizania de Freitas. Este cuidado com a saúde emocional é visto no trabalho da professora Talita Michelle de Souza, da Escola Municipal Lindolfo Pereira da Silva, principalmente neste momento de isolamento social que pode ter gerado impactos psicológicos nos estudantes. “Tenho explorado o autoconhecimento dos estudantes por meio de conversas e brincadeiras lúdicas, para entender aquilo que eles estão sentindo e ajudá-los a lidar com estes sentimentos”, destaca a professora.

João Miguel Pereira dos Santos, de 8 anos, é estudante do 3º ano da Escola Municipal Pastor Miguel Moreira Braga. Ele diz que o autoconhecimento é saber as suas características e também o que sente. “O que me deixa feliz é brincar e andar de bicicleta, e o que me deixa triste é a pandemia”, afirma o estudante, que tem a matemática como seu ponto forte, e o pula-pula como seu ponto fraco.

A escola atua como local de desenvolvimento e permite a conexão do estudante consigo mesmo e o entendimento de que suas ações geram consequências positivas ou negativas. Auxiliar uma criança a identificar e expressar suas próprias emoções permite que ela se transforme em um indivíduo com boa saúde emocional e capaz de lidar de maneira madura com desafios ao longo da vida. No mês de junho, o tema do Talentos do Coração é responsabilidade.

Compartilhar publicação